Nasceu uma mãe, mas e a dona de casa cadê?!

Categorias: Prosa de mãe, Reflexões

Salvo raras exceções, nós mulheres de 30 a 40 anos, definitivamente não fomos criadas para cuidar da casa. Filhas da geração que viveu a onda feminista dos anos 60/70, das mulheres que foram a luta conquistar um lugar no mercado de trabalho, e penaram para conseguí-lo, que se divorciaram, que se tornaram independente financeiramente dos maridos, fomos criadas para ter uma carreira, para ter vida própria, mas por um tempo se esqueceram que um dia talvez quiséssemos também ter uma família.

Estudamos línguas, entramos pra faculdade, começamos um estágio, nos formamos e conseguimos um emprego, exatamente como nossos irmãos e amigos. Tarefas domésticas até aí se resumiam a lavar uma louça, arrumar a cama, estender a roupa e talvez uma faxina de vez em quando, numa mudança ou arrumação de armário ou passar uma peça de roupa quando você queria usar aquela que ainda estava no varal, na festa de sábado a noite. Cozinhar?! Oi? Ok, se você curte você até aprendeu uma coisa ou outra, um doce talvez, ou a se virar numa viagem, mas sejam sinceras a maioria nunca fez uma panela de feijão na vida, conheço quem aprendeu a fazer carne moída no google!!

Aí você cresceu e saiu de casa, foi morar sozinha ou casou, mas na real, seu dia a dia não mudou muito, você passa 90% do seu tempo na rua trabalhando ou gastando seu dinheiro. Agora você faz as compras, muito básicas porque vocês quase não comem em casa, administra as contas, lida com a faxineira, nada muito além disso. Então nasce o primeiro filho, tudo muda! Nasce uma mãe! Pode ser até ser meio sem jeito no início, insegura ou preparada, com mais ou menos dificuldades, mas nasce, pelo instinto, pela necessidade, pelo amor, o que não sabemos aprendemos, e pronto somos mães!

Mas e a casa?! Aquela casa que só via aspirador de pó uma vez na semana (no dia da diarista), que na geladeira não tinha mais do que um queijo, um pote de requeijão, salada pronta, algumas frutas e cerveja…. agora tem um bebê que suja mais roupa em um dia do que você sujava a semana inteira, golfa seu sofá, vaza xixi no colchão, em pouco tempo estará comendo papinha de uns 3 ou 4 legumes e 2 ou 3 frutas, 3 vezes ao dia, ou melhor comendo uns 70% porque os outros 30% vão na cadeira, no chão, na sua roupa…. Não dá mais pra fingir que não é com você, o buraco agora é mais embaixo, nessa casa mora uma família e alguem precisa cuidar dela e fazer compras de mês!

Vá lá, eu não me saí tão mal na licença maternidade, tudo bem que eu almoçava bife com salada quase todos os dias e aumentei a diarista pra 2x na semana, mas deu pra me virar. Eu estava em casa, e Pedro não dava metade do trabalho que dá hoje! Mas será que é mesmo tão difícil assim aprender? Ou no fundo temos mesmo é um baita preconceito com os afazeres domésticos? A maioria de nós já assumiu esse papel de mulher moderna e independente que simplesmente odeia tudo que se aproxima de cuidar da casa! Eu confesso, eu acho difícil pra cacete trabalhar fora e gerenciar a casa e a vida familiar, e olha que meu marido está anos luz acima da média no quesito ajudar em casa (no de cobrar também, mas tá valendo!). A minha cabeça muitas vezes não dá conta mesmo! Eu sempre fui mega desligada e acho que gasto boa parte dos neurônios me esforçando pra não esquecer nada no trabalho, em casa já viu…. deixo na lista do que fazer para o almoço um prato com ingredientes que não tenho na dispensa, esqueço a roupa lavada na máquina de um dia pro outro, só vejo que o leite acabou na última mamadeira…. Mas e se eu não trabalhasse fora?

Sim, eu conheço algumas, muitas mulheres criadas como eu, que optaram por parar de trabalhar e ficar com seus filhos, há quem ame ficar com as crianças e embora não curta muito os afazeres de casa, ache que compensa, mas há também quem já nem desgoste mais tanto assim! A essa altura ter-a-pia cheia de louça pra lavar já virou minha terapia mesmo ligo o som, deixo o filho aos cuidados do pai, e tenho ali alguns minutos só com meus pensamentos, vai dizer que isso não é um luxo?! Nem no banheiro eu encontro essa paz…. E quando o filhote raspa o prato com a comidinha que você fez como todo o amor que só você poderia fazer?! No mínimo gratificante, não?!

Pode até não nascer uma dona de casa em nós assim que viramos mães, mas nós podemos fazer nascer, e a nosso modo, nos reinventar! Afinal, estamos habituadas a responder sob pressão, mediar conflitos, enfrentar a crise, planejar, elaborar estimativas, gerir orçamento, por que não aplicar todo esse conhecimento na nossa casa, vamos lá com um pouco de organização e dedicação, nós podemos sim, e quem sabe até gostar. Tá bom! Passar roupa é o ó e sempre será… mas …We can do it!!!

 

 

1 comentário

  1. Haiokelly comentou:

    Caramba , Adorei de amis te seguir aqui no Blog Fico lendo e relendo o dia o inteiro suas publicações…

Deixe seu comentário!