Volta às aulas: dicas para facilitar a readaptação escolar

Categorias: Dicas, Falando de filhos, Prosa de mãe

Janeiro se foi e com ele as férias! Esta semana as aulas estão de volta,  a rotina, o dia a dia, tudo volta a ser como antes, horário pra dormir, pra comer, pra tomar banho… Se para nós voltar de férias não é tão simples, geralmente leva uma semana para entrarmos no ritmo, imagina para nossos filhotes. Pensando nesta readaptação do Pedro ao ambiente escolar, depois de quase dois meses em casa conosco (pai, mãe ou avó), e sendo recebido por uma nova professora e novas cuidadoras… Enfim, pensando nesse momento, e um pouco apreensiva, principalmente porque no fim do ano passado ele estava dando certo trabalho para ir a escola, resolvi pesquisar de que forma eu poderia amenizar esse retorno.

Na verdade encontrei muita coisa sobre adaptação, assunto que eu estudei bastante no ano passado, quando Pedro começou na creche. Então reli algumas coisas, li outras novas e identifiquei o que pode ser útil também nesta readaptação.

Imagem: Wes Peck / Creative Commons

Imagem: Wes Peck / Creative Commons

Prepare seu filho, converse sobre a escola, mas sem forçar o assunto, para não demonstrar sua insegurança. De umas duas semanas para cá começamos a falar sobre a escola com Pedro, sempre destacando o que pode atraí-lo, as novas atividades (futebol e capoeira), as brincadeiras no pátio o reencontro com os amigos. Também já mencionamos que ele agora irá para o MII, que terá outra professora, mas sempre fazendo uma festa, comemorando a sua evolução na escola, porque a primeira vez que falamos nisso no fim do ano passado ele chorou dizendo que ele era MI e não queria ir pro MII.

Restabeleça a rotina pelo menos uns dois ou três dias antes do primeiro dia de aula, comece a oferecer as refeições nos horários em que a escola oferece, coloque-o na cama a cada dia um pouco mais cedo até o horário habitual, e acorde-o no horário da escola se for o caso. Como aqui as aulas começam na quarta a partir de amanhã vou começar a fazer isso.

Entregue seu filho ao educador com convicção e segurança como em qualquer dia normal. Evite que a pessoa na escola precise tirá-lo do seu colo. Eu estou preparada para o chororô da despedida mas consciente de que é só no momento da separação, não significa que não fique feliz na escola. Então preciso ser forte, calma e tranquila para que ele se sinta seguro e perceba que é só mais um dia como todos os do ano passado, ele fica na escola e eu ou pai vamos buscá-lo.

Estimule a independência nas pequenas tarefas no dia a dia. Uma das diferenças que os pequenos mais sentem é que quando estão em casa sendo cuidados pelos pais ou por alguém muito próximo, assim eles tem a atenção destas pessoas 100% voltada para eles, enquanto na escola precisam dividir a atenção de cuidadores e professores com o resto da turma. Uma forma de minimizar essa diferença é estimular a independência, deixando que brinquem um pouco sozinhos, peguem as coisas sem ajuda, comam sozinhos, etc… Eu particularmente acho isso bem difícil, eu tento, mais o Pedro realmente demanda a nossa atenção o tempo todo, e enquanto não há concorrência é difícil se policiar para não atender sempre. Por outro lado, o bom da história é que minhas férias acabaram 15 dias antes das dele, então a separação mais dolorida já passou, e foi bem mais dolorida pra mim do que para ele.

Envolva seu filho nos preparativos na véspera, coloque-o para ajudar a arrumar a mochila, escolher a roupa ou a toalha se usar uniforme, separar o material ou qualquer tarefa que envolva a escola. Como a desorganizada aqui deixa tudo pra cima da hora, tenho muito que arrumar ainda, roupas para etiquetar, artigos de higiene para comprar, não vai faltar tarefa para ele ajudar…risos.

Enfim, se estas atitudes vão melhorar a reação dele ou se eu vou me surpreender com um “tchau mamãe” virando as costas sem olhar pra trás, eu não sei. Por que a essa altura já aprendi que meu filho é imprevisível, mas não custa prevenir né! Depois conto pra vocês! Espero que as ideias facilitem as coisas por aí também!

Boa semana!

 

 

2 comentários

  1. Oi Fernanda,
    Identifiquei muito com esse post.
    Padecendo aqui na adaptação!!
    Amei o post!

Deixe seu comentário!