Desfralde de meninos: dicas de como fazer (Parte II – a prática)

Categorias: Falando de filhos, Prosa de mãe, Relatos de experiência

No post passado (leia aqui) falamos sobre como iniciar o processo do desfralde, demos dicas para identificar a hora certa e também para introduzir o assunto com a criança. Mas então, você já escolheu o momento, definiu a estratégia, e agora? O que comprar? Troninho ou adaptador? Esperar ele pedir ou levá-lo mesmo sem vontade? Melhor começar em pé ou sentado? Estas e outras informações reunidas aqui e para facilitar a sua vida. Porque eu, assim como você, antes de iniciar qualquer grande projeto aqui em casa (desmame, desfralde, troca de cama, escola…) pesquiso tuuuudo!!!

Troninho ou redutor/adaptador para vaso sanitário

A maioria dos entendidos ainda recomenda o bom e velho penico. As principais vantagens são segurança, acessibilidade e conforto. A primeira vista parece mais fácil a criança se adaptar ao troninho. Por outro lado, mais cedo ou mais tarde o redutor/adaptador passa a ser melhor opção, e além de evitar a trabalheira com a limpeza do penico (mais ou menos porque no caso de meninos os escapes são comuns!) são usados por mais tempo. Por isso se seu filho já for grandinho, acho que vale partir para esta opção como definitiva, caso contrário pode inibi-lo, deixa-lo inseguro e acabar atrapalhando o processo.

Eu optei pelo troninho no início, mas já prevendo sua curta vida útil escolhi um modelo 2 em 1 que hoje se presta ao papel de degrau para ele alcançar a pia e o próprio vaso sanitário. Hoje não faltam opções de penicos no mercado, mas para iniciar a história um simples e baratinho cumpre muito bem a função, a afinal, salvo casos especiais, será que vale investir? Já os adaptadores são usados por mais tempo, precisam se ajustar bem ao vaso sanitário para oferecer segurança e conforto. Boas dicas são os dobráveis que cabem na bolsa e os acoplados a escada, desde que o banheiro seja de uso exclusivo da criança, para não precisar remover a toda hora.

Em pé ou sentado

Assim como o troninho, os especialistas indicam ensinar primeiro sentado e depois em pé. Uma das razões é que no início pode ser difícil para ele identificar se a vontade é de xixi ou de cocô, outra é que ele pode se concentrar melhor sem se preocupar com pontaria e equilíbrio. Além disso, como no início tendemos a levá-los antes da bexiga encher, o volume não é suficiente e acaba escorrendo pelas pernas. Ensine-o a colocar o pênis para baixo, com a mão, para evitar vazamentos, ajude-o se necessário. Mesmo quando for para fazer cocô já que com a força escapes acontecem.

Futuramente vale a pena incentivá-lo a fazer em pé, o que facilita e muito a ida ao banheiro na rua. Lembre-se de nesta hora usar o vaso, pois no penico respinga pra todo lado.

Com que frequência levar ao banheiro?

No início não tem jeito, você precisará lembrá-lo que ele precisa fazer xixi. Antes de tirar as fraldas tente observar por quanto tempo ele fica seco, geralmente é suficiente leva-lo a cada 2 horas, caso ele beba muito líquido diminua o intervalo. Mas não vale chamar a toda hora e ele se sentir pressionado ou de saco cheio por toda hora interromper a brincadeira e acabar tornando a experiência toda negativa.

Aos pouco eles começam a pedir, mas mesmo assim, especialmente quando estão entretidos, é preciso ficar atenta ao tempo e aos sinais (andar estranho, mão na cueca a toda hora…). Os escapes aqui foram mais frequentes meses após o desfralde, quando já tínhamos nos desligado um pouco.

Apele para a diversão e outros estímulos

Se estiver difícil envolver seu filho no processo apele para o que ele gosta. Além de livros você pode comprar cuecas divertidas, dos seus personagens preferidos. Um troninho mais atrativo, um sabão colorido no vaso sanitário, ou até estabelecer sistema de prêmios como, adesivos colados no banheiro a cada episódio bem sucedido!

Não esqueça de nunca demonstrar raiva ou descontentamento com os acidentes, porque eles acontecem!

Driblando as adversidades na rua

Cá entre nós, nesse aspecto, nós mães de meninos não temos o que reclamar, tudo é bem mais fácil com eles!

No início você pode usar as fraldas de treinamento ou “pull ups”, que vestem como cueca. São mais caras e menos absorventes mas apenas para as saídas compensam. Tenha protetores plásticos de assento para o caso de um cocô fora de hora, mas para o xixi prefira usar o vaso sanitário em pé mesmo. Nunca mencione que o banheiro é de mulher ou de menina, e caso ele perceba e reclame, e vocês estejam sozinhos apele para o fato de que os banheiros femininos são mais limpos. Tenha uma garrafa pet vazia no carro, em caso de aperto no meio do engarrafamento, você pode deixá-lo fazer na garrafa e jogar fora depois.

Em caso de necessidade leve-o em um canteirinho e use a tática do “vamos molhar as plantinhas”, mas evite sempre que possível, mesmo sendo xixi de criança, também suja a rua. Quando acontecer, jogue um pouco de água em cima.

Espero que as dicas sejam úteis pra você e que o desfralde por aí seja um sucesso 😉

 

3 comentários

  1. Fernanda,
    Bacana demais seu post. Os dois sobre o desfralde!!
    Parabéns!
    Quando começar por aqui eu volto pra te contar minhas experiencias!
    Beijos

    1. Fernanda Curado Reale comentou:

      Obrigada!!!! <3<3<3

Deixe seu comentário!