Dia Internacional da Mulher: juntas somos mais, juntas somos mães!

Categorias: Conversa fiada, Prosa de mãe, Sem categoria

Esta semana eu tive a prova definitiva que mães internautas podem se amar mais do que se odiar, ao contrário do que sugerem as calorosas discussões em torno dos temas polêmicos e os inúmeros  textos que circulam por aí sobre a falta de etiqueta e compaixão maternas nas redes sociais!  O mundo virtual materno está cheio de mães que se ajudam, que se apoiam, que trocam, que aprendem umas com as outras, mesmo sem se conhecer, mesmo sem ser amigas! Eu, que sou novata nesta imensa blogosfera materna, fico feliz em saber que vale à pena!

Escrever um blog, empreender na internet, buscar novos caminhos profissionais…. é um caminho individual, mas não precisa e não deve ser solitário. Pensando nisso lancei uma idéia de uma rede de colaboração e parcerias em um grupo de mães empreendedoras do Facebook…. e qual não foi minha surpresa quando desta iniciativa despretensiosa surgiu um grupo de 20 mulheres dispostas a se ajudar, a crescer juntas, a divulgar o trabalho umas das outras e dessa ideia surgiram outras e mais outras, como a ideia de escrevermos todas o mesmo post. Quer motivo melhor para comemorar o dia de hoje do que a descoberta por um grupo de mulheres, mães empreendedoras, de que juntas somos mais, juntas somos mães!

Para comemorar o dia de hoje e também esta parceria, o Que mãe sou eu? publica hoje um post em conjunto com outros blogs e instagrans. Todas respondemos 3 perguntas e publicaremos com a #juntassomosmaes, você pode ler as respostas de outras blogueiras e pode você mesma publicar suas respostas em seu perfil, usando a hashtag do desafio!

Desafio #juntassomosmaes

Desafio #JuntasSomosMães #diadamulher

Me sinto mulher quando….

quando me realizo, me redescubro, me reinvento…

quando faço mil coisas ao mesmo tempo…

quando escrevo… quando outras se identificam com meus posts…

quando me enxergo em outras mulheres…

quando sou amada…

quando tenho meu filho nos braços…

nada me fez sentir mais mulher, mais feminina, que a maternidade!

Eu defendo esta idéia:

Direito de escolha é direito de escolha, seja ela qual for…. Parar de trabalhar não significa abrir mão de realização; Ser dona de casa não significa ser submissa; Adotar o nome do marido não significa abrir mão da identidade…. e nenhuma delas me faz menos feminista do que você. Defendo o direito à escolha, seja ela transgressora ou não!

Que mulher sou eu?

Ainda estou descobrindo….acho que sempre estarei!

Eu mudei, eu fiz escolhas, nem todas certas mas todas necessárias. Toda escolha significa também uma perda, parte do que abdiquei me faz falta, mas não me arrependo das escolhas que fiz, elas me fizeram a mulher que eu sou hoje.

Sou uma mulher que muitas vezes pensa como homem, mas aprendi que às vezes é preciso ser menos policial e mais princesa.

Eu ainda faço escolhas, eu ainda estou mudando….

Quer ler outras? Acesse:

unidunikids

Mãe&Mamães

Motherna

Muito mais que mãe

e no Instagram:

@julianadetalier @virapaginas @muitomaisquemae @t3mideias_criativas

 

6 comentários

  1. Beatriz Borges comentou:

    Feliz estou eu em ver que existe tanta gente empenhada e entregue aos seus princípios. O seu é denominado maternidade e escolheu que através dela iria pontuar seus esforços e competências para levar a outras mamães e mulheres, sua visão rica e deliciosa do ser mãe. Ainda mais pelo seu lado idealizadora deste incrível projeto de dividir suas histórias com a de outras blogueiras, rumo ao entendimento maior desta missão de ser mãe, de viver a plenitude da maternidade em todos os aspectos, dividindo dúvidas, alegrias e transmitindo conhecimento. parabéns!!

    1. Fernanda Curado Reale comentou:

      Obrigada Beatriz!!! Conseguiu deixar esta blogueira aqui sem palavras, se é que isso é possivel….
      Obrigada mesmo!

  2. Fe, você falou tudo! A sua idéia foi incrível justamente porque ela uniu pessoas em um ambiente empreendedor! Quando perguntei “que mulher sou eu”, pensei em todas as mulheres, mas com uma inspiração no seu blog, pois a pergunta que mulher e que mãe sou eu se fundem, se completam!

    1. Fernanda Curado Reale comentou:

      Amanda, a minha idéia foi só o embrião pra tudo mais que está surgindo. O post conjunto foi um gol de placa, mérito seu, estou feliz por estar participando disso.
      Beijos

  3. Fernanda Curado Reale comentou:

    Oi Jan!!! E não foi?! Essa ideia fantástica foi da Amanda Gusmão, eu só dei o pontapé inicial sugerindo que formassemos uma rede colaborativa onde umas curtissem e compartilhassem os posts das outras. E daí surgiram várias outras idéias…
    Eu ainda nem parei de trabalhar, mas pretendo….

  4. Iniciativa incrível essa de sugerir um post conjunto! Adorei e quero fazer outras vezes. Estou adorando o apoio, ler as respostas das outras, conhecer e me identificar mais com cada uma de vocês. Suuuper concordo que escolher ficar em casa não torna ninguém menos feminista, menos poderosa, menos nada. Cuidar daqueles que amamos é uma tarefa árdua e deliciosa. Eu adoro e me sinto muito mais dona do meu destino depois que parei de trabalhar.

Deixe seu comentário!