Férias, pra que te quero?

Categorias: Conversa fiada, Prosa de mãe

Férias, como não amá-las e desejá-las?! Qual a primeira imagem que te vem à cabeça, uma praia paradisíaca, um rede na varanda, um novo carimbo no passaporte? É bem por aí, nove entre dez imagens que aparecem no google quando se busca sobre férias são assim. Mas a verdade é que pelo menos para mim, no pós maternidade férias passaram a significar muito mais do que isso…. aliás minhas férias tem sido bem diferentes disso por sinal.

No primeiro ano após a volta ao trabalho consegui tirar 30 dias de férias, um mês inteirinho é coisa rara hoje em dia, eu mesma, só consegui dessa vez! E fui só eu, marido tinha mudado de emprego há pouco e eu não poderia esperar…. então aquele mês todinho foi pra curtir cada minutinho do dia a dia com Pedro que eu perdi nos meses anteriores…. eu levava na pracinha de manhã, dava almoço, colocava pra dormir a tarde (por vezes dormia junto)… uma espécie de revival da licença maternidade, e eu amei cada segundo daquelas férias, àquela altura eu ainda não sentia falta de mim, nem de tempo, tudo que eu queria era matar aquela saudade sufocada e brincar de ser mãe em tempo integral.

Então veio o segundo ano, e quem havia mudado de emprego era eu, por isso demorei um pouquinho mais para tirar uns dias e não daria para ser mais do que 10, isto porque Pedro já havia entrado em idade escolar e eu precisaria guardar a maior parte das férias para o mês de janeiro (isso te é familiar?!). Eu programei cuidadosamente cada um dos meus dias, seria a primeira vez em quase 2 anos que eu teria parte do dia só pra mim, já que ele passava as tardes na escola. Eu planejei ir a praia, colocar minha série favorita em dia, ler uns livros que estavam na cabeceira há meses…. Mas quis o destino que não fosse desta vez ainda a minha vez. Poucos meses antes, Pedro havia sido diagnosticado com uma hérnia inguinal que precisava ser operada, não era uma emergência, mas precisava ser feita, e após um tempo de espera por vaga no centro cirúrgico escolhido, advinha? A cirurgia foi marcada para o meu primeiro dia de férias! Após a cirurgia, bingo! O médico recomendou 10 dias de repouso em casa….

Por fim, é claro que foi ótimo que eu estivesse de férias e tenha podido ficar esse tempo com meu pequeno, e foi uma delícia fazê-lo e poder enchê-lo de carinho e mimo na recuperação, mas eu devo confessar, eu não esperava! A cirurgia era bem simples e o médico tinha falado em vida normal, o que você entende por vida normal? Eu entendi que ele estaria liberado para a escola em 1 ou dois dias, e admito, quando recebi a notícia eu desabei no choro. Um choro que gerou repulsa em muitos, “que horror! o filho sai da mesa de cirurgia bem e com saúde e a mãe chora porque lá se foram seus planos de férias?” horrível, né?! Mas foi um misto de alívio e desespero, pelo fim da cirurgia, por ter corrido tudo bem, uma descarga de tensão e também um pouco de frustração sim, não nego…. Àquela altura eu já estava exausta e clamava por um tempinho pra chamar de meu. Se você é mãe 100% dedicada como eu, e por esse conceito defino não só as mães full time, mas também as que cuidam dos filhos todo o tempo que não estão no trabalho. Acho que você me entende, não?!

Pois é,  mas passou e eu sobrevivi (sempre sobrevivemos, não é?) e assim chegamos ao presente…. E finalmente aos 5 dias só pra mim!!!! E o que eu programei para eles? Uma viagem rápida? Um dia no spa? Nada disso, nada de especial… sabe porque eu esperei tanto por 5 dias de férias onde eu não farei nada de especial? Porque é a minha chance de praticar a vida que eu quero ter, fingir que essa é a minha rotina e brincar de viver o sonho, sem glamour e sem romance, mas ainda assim um sonho…. Levar o filho na escola sem estar correndo pra ir trabalhar, dar banho na natação sem me preocupar em me molhar toda, tomar um banho de mais de 10min, fazer uma caminhada, ouvir o silêncio da tarde, andar pela rua no meio do dia e de chinelo, escrever 3 textos em um só dia, visitar uma amiga, conhecer o escritório do marido, separar as roupas que já não cabem mais no Pedro, navegar pelo Facebook e Pinterest na telona do computador (cansada do celular!)….e ainda assim contar as horas para buscá-lo na escola às 17:30!!!

Essas são minhas mini-férias de mãe! E eu estou feliz da vida com elas! E claro, uma semaninha num resort também não me faria nada mal, quem sabe nas próximas….

 

2 comentários

  1. Aproveite!!!

    Ps: entendo perfeitamente sua decepção com as férias que não aconteceram como programado da primeira vez. Acho que as pessoas acham que temos que funcionar como um botão liga/desliga. Se você liga o status “mãe”, desliga o status “mulher”/humana. Não é assim! Beijos

Deixe seu comentário!