O primeiro passeio com o bebê – dia 53

Categorias: 100 Primeiros dias, Versos diários

53 dias e hoje finalmente foi dia de passear! Passeio de verdade, nada de casa de vó! Bom, teve casa de vó também… Mas com o  friozinho dando uma trégua por aqui e perto de completar dois meses achamos que era hora de dar uma volta e fomos ao almoço de aniversário do tio com a família em versão completa!

Já falei aqui que não me lembro de sentir tanta falta de sair quando Pedro era pequeno, acho que o primeiro filho é muita novidade e tira um pouco nosso foco do resto todo. Além disso com o primeiro filho, pelo menos aqui, ficávamos todos em casa, não tinha muito essa de Ricardo sair e eu ficar, acho que aconteceu pouquíssimas vezes, já com o segundo alguém precisa levar o mais velho às festas, e para se distrair também, então é bem comum vê-los sair e eu ficar…

Mas acho que a diferença maior reside mesmo na imersão que rola no primeiro contato com a maternidade. Lembro que quando Pedro nasceu eu estava no meio da temporada da minha série favorita e eu levei bem mais de um ano pra conseguir voltar a vê-la, desta vez eu segui assistindo um capítulo por semana como se nada houvesse… Bem verdade que vários deles foram assistidos altas horas da noite com Laura nos braços, seja no peito ou balançando de um lado pro outro enquanto lia as legendas, já que ouvir nem sempre era possível, mas eu assisti todos, até o último nesta semana.

Voltando ao passeio, algumas pessoas preferem deixar para sair com o recém-nascido somente depois das vacinas dos 2 meses, ou ainda dos três meses, que são um pouco marco de saúde e desenvolvimento. Bom, Pedro nasceu próximo às festas de fim de ano, então até que saímos bastante antes dos dois meses, mas apenas para casa de familiares. Algumas vezes para o pediatra, outras para ir ao banco de leite. Com Laura, tivemos poucas oportunidades de sair, o frio e as noites difíceis não nos tem permitido nem aproveitar o sol da manhã na pracinha. Por isso já perto dos dois meses, achamos que era hora, escolhemos um restaurante que vamos sempre, num horário bem cedo para que não estivesse cheio nem barulhento, reservamos uma mesa que acomodasse bem o carrinho fora da área de circulação das pessoas e lá fomos nós!

E como foi? Almoçamos com tranquilidade, Laura respeitando a lei de murphy, se comportou muito bem, o tempo todo no carrinho, hora dormindo hora acordada…. Desconfio que ela saiu mesmo a mãe, gosta de uma rua!

Deixe seu comentário!