100 Primeiros dias: décima segunda semana (parte 2)

Categorias: 100 Primeiros dias, Versos diários

Seguimos com nosso diário dos 100 primeiros dias de um bebê, Laurinha a essa altura com 12 semanas, reflexões de uma mãe de dois!


Dia 81 (domingo, 24 de julho)

Oitenta e um dias, eu aqui sentada em minha cama com uma nos braços, a quem tento fazer dormir, enquanto o outro espalha bonecos e aviões pela cama em sua brincadeira de super heróis…. E eu aqui pensando se afinal ter filhos é o ato mais altruísta ou mais egoísta que cometi na vida.

Antes deles a essa altura eu estaria no sofá assistindo uma maratona da série do momento com o marido e um balde de pipoca, ou quem sabe esparramada na cama com um bom livro de companhia, ou ainda tomando um longo e demorado banho daqueles que rola até uma hidratação relâmpago nas madeixas ou quem sabe, o banho fosse a dois… Enfim eu estaria fazendo qualquer coisa que eu quisesse e que satisfizesse somente o meu desejo e de ninguém mais.

Mas eu tive filhos, e em seus primeiros anos grande parte das minhas ações dão conta de atender às suas demandas, quando eu começava a saborear de novo alguma bordinha desse bolo, o que eu fiz?! Abdiquei da fatia, fui lá e tive outro filho, muito altruísmo não?! E pior é que eu acho que não….

Por fim o nascimento deles nada mais foi do que a realização suprema do meu desejo de ser mãe. É claro que todas queremos a felicidade dos filhos, mas antes disso, ao escolher ser mãe , o fazemos pela nossa felicidade, para satisfazer nosso desejo ideológico e até biológico de ter filhos. Eles não escolhem nascer, nós os escolhemos!

Filhos são fonte inesgotável de amor, e amar dá trabalho! Ser feliz dá trabalho!


Dia 82

82 dias, tudo isso, só isso! Há alguns dias a cena se repete, eu sentada na cama com os dois, enquanto Laura mama, dorme, acorda, chora, fica no berço, chora, mama de novo…. Pedro espalha carrinhos ou bonecos pela cama toda e brinca até ficar mole, pedir o tablet, escolher qualquer tutorial porcaria de brinquedos no YouTube e dormir antes dos primeiros 5 minutos de vídeo. Ufa, belo ritual para hora do sono não acham?!

Pois é, sabe aqueles memes do gênero expectativa x realidade?! Agora com o segundo filho me sinto protagonista de todos eles! No caso pode até escrever Pedro na figura da expectativa e Laura na da realidade. Quando lembro que eu fazia massagem no Pedro com óleo hora do soninho, depois o pai dava o banho, então ele mamava, saía do peito acordado, eu botava no berço e ia ver a Carminha na TV, em cerca de meia hora ele já tava dormindo, parecia até comercial de margarina!

Então fiquei pensando em todas aquelas dicas clássicas, que eu mesma repeti por alguns anos, do tipo:

  • siga uma rotina com o bebê
  • Coloque no berço sonolento, mais ainda acordado
  • Ele dormiu, durma também

Se você está no segundo filho esqueça, se você conseguiu segui-las com o primeiro, ainda assim a chegada do segundo vai bagunçar tudo mesmo…. E se você já está no terceiro ou quarto, esqueça, é você quem dá as dicas!

E vamos em frente porque pra hoje é o que temos, às 10 da noite todos dormem, inclusive o marido….. Aquele momento em que eu respiro longa e demoradamente e penso, consegui! E quem se importa como?! Com ou sem massagem, sem tablet ou com tablet, na minha cama ou na deles, eu consegui!

Boa noite!


Dia 83

Mãe exausta parece redundância né?! E de fato ter um bebê pequeno é mesmo muito cansativo, mas a verdade é que desde que Pedro nasceu eu não consigo mais me lembrar em como é não estar cansada! Já me questionei se isso é só em razão da maternidade ou tem muito da idade também, talvez as duas coisas juntas. É claro que eu não esperava aguentar uma noitada e trabalhar no dia seguinte como fazia antes dos 30, mas quem disse que estou falando de noitada?! To falando do dia a dia mesmo, comum, de trabalho de segunda a sexta, de rotina de casa, de festinha de criança no fim de semana.

Sinto que nunca recupero, quando a semana é mais pesada que o normal, quando tenho que trabalhar um sábado, ou quando um filho fica doente, não dá pra tirar um domingo pra dormir o dia todo por exemplo…. E assim nunca recupero. Foi assim por quase quatro anos, até Pedro começar a ficar mais independente, ir passear com os tios ou dormir na casa da avó, foram muito poucos os momentos que eu e Ricardo tivemos de folga.

E agora estamos começando tudo de novo….


Dia 84

84 dias! Ok! Os sessenta dias de neblina podem ter ficado para trás mas em se tratando de Laurinha continuamos sujeitos a chuvas e trovoadas por aqui!

Os mágicos 3 meses se aproximam, o neném que antes só dormia e quando acordado ou estava mamando ou chorando, começa a dar sinais de que já já vai estourar o fofurômetro…. entre sorrisos, e gritinhos, ela tenta pegar brinquedos, se distrai com qualquer balangandã pendurado a sua frente, faz charme, faz beicinho e também mama mais, brinca mais no peito, e dorme menos, está ainda mais resistente ao sono, briga com ele, se irrita, chora. E o choro tem mais força, e é mais alto, e quando quer mamar então, sai de baixo….

E enquanto antes era cólica ou refluxo incomodando, agora parece não ter muito motivo, vem a qualquer hora. Ela parece já ter aprendido que a noite foi feita pra dormir, mas se antes apagava cansada das horas de choro que antecediam o sono, agora tem uma noite agitada, são vários episódios com sons e movimentos estranhos mesmo não chegando a acordar, se espreme, esfrega a cara, levanta as pernas, qualquer dia acho que dá uma cambalhota.

Faz muitos sons antes de acordar de fato, mas quando abre o olho, sorri antes de qualquer coisa. Chora quando está irritada, custa a acalmar, mas quando se aquieta, sorri! Não para de mexer as pernas enquanto é trocada, às vezes reclama, mas quando acaba, sorri enquanto contempla os bonecos do irmão na parede em frente. Laura é assim, intrépida!

Deixe seu comentário!