O que uma criança de 5 anos quer? – dia 119

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

Cento e dezenove dias de Laura, mas com Pedro lá se vão quase cinco anos. E se, ter um bebê não é mole, ainda assim, não é preciso muito pra fazê-la feliz, peito, colo, não sai muito disso… Agora vai satisfazer uma criança de 5 anos, vai fazer feliz uma criança de 5 anos!

Passadas as birras dos 2, a negação dos 3 e até a fofurice dos 4, aos 5 eles já descobriram que querem, mas não sabem o quê querem, quando querem e porquê querem. É a idade da indecisão, da ansiedade, da oscilação. Se antes ir embora de qualquer lugar era um parto, porque qualquer atividade era muito legal e muito divertida pra ser interrompida ou mesmo trocada por outra, seja o que for que viesse depois o aqui e agora era o que merecia apego, sempre!

Hoje o fascínio é pelo que está por vir, sempre! É tanta ansiedade, tanta expectativa, e vamos, vamos logo, vamos agora, tá demorando, vai demorar pra chegar amanhã…. E quando chega, e quando vamos… É só isso?! Ok já vi, já brinquei, quero ir! Querem ir para a próxima etapa, o próximo programa, a próxima atividade. Só para o banho que a lógica permanece inversa, nunca quer entrar mas quando entra não quer sair! Puro e simples gerenciamento de expectativa, porque banho é chato, ele já conhece, tem todo dia…. Mas não é que brincar na água nunca perde a graça?! Acho que vou tentar aplicar a lógica do banho aos outros programas…..será que funciona?

Que difícil é ser criança nesse mundo, é tanta opção, e justo quando eles ainda estão aprendendo a escolher, ele quer escolher, mas é difícil…. E é tudo tanto, tudo muito, tudo mais… Não bastam férias tem que viajar, não basta cinema tem que ter pipoca, não basta lanche tem que vir brinde, não basta fim de semana tem que ter programa… E se vai beber água tem que escolher o copo, se vai se vestir vai com a cueca de que super-heroi? São tantas escolhas, na hora de escolher o que de fato importa, na hora de escolher que brinquedo levar no dia da novidade, ele não consegue, se angustia, escolhe errado, se frustra!

E afinal o que eles querem?! Eles mesmo querem só brincar, querem só presença, o resto é o mundo que põe na cabeça deles. E vai vendo que nesse ritmo, não é à toa que fazer adultos felizes está cada dia mais difícil!

 

Deixe seu comentário!