Dia de mae também pode ser perfeito – dia 227, dia 228

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

Dias 227 e 228…. domingo de folga, segunda de relato dobrado! Ontem foi dia de comemoração natalina, porque natal de família grande é assim, tem um monte de festa! Foi dia de exibir a cria, Laurinha é no momento o único bebê, a caçula da minha grande família…. bonequinha que é, passou de colo em colo, todos ávidos por tirar uma casquinha, talvez com saudades dos seus pequenos agora já crescidinhos.

Engraçado que não me lembro de tantas pessoas pegarem Pedro no colo, ele de fato não ia mesmo, mas as pessoas não se aproximavam tanto, talvez haja um pouco mais de reserva com a mãe de primeira viagem, talvez os sorrisos da Laura sejam muito convidativos, e de fato são…. mas a verdade é que eu adorei! É aquilo que dizem mesmo, segundo filho a gente quer mais que peguem no colo, que botem pra dormir…. a gente quer mais é um segundinho de paz. Não rola aquele medo que chore, ou aquela sensação de que só no seu colo ele acalma, ou a preocupação se ela vai estranhar, se assustar, se vão segurar direito. A essa altura, mãe de segunda viagem a gente já tem certeza que não quebra, que sobrevivem (risos….)!

E fico pensando se Pedro não ir com ninguém, estranhar ambientes e pessoas era mesmo só a sua personalidade ou se fui eu que passei um pouso isso pra ele, se tava implícito nas minha atitudes, se havia qualquer excesso de zelo, qualquer ponta de insegurança que ele percebesse. E olha que eu sempre me achei a mais desencanada das mães de primeira viagem, até brincava que se eu já era assim no primeiro imagina no segundo!

E por falar em segundos de paz, até minutos, chegamos ao dia de hoje, dia 228….. ah se todos fossem iguais a esse! Se Laura não fosse assim meio de lua desde que nasceu, hoje eu estaria me perguntando quem deu o quê pra minha filha ontem, o que fizeram com a minha menina e quem é essa que colocaram no lugar?!

Hoje teve prato de papinha quase limpo na hora do almoço, teve soneca de mais de duas horas quase depois, teve anoitecer sem choro, aliás acho que foram umas 10 horas sem choro por aqui… recorde absoluto! Ah! Como o silêncio torna tudo mais fácil! E no fim de tudo, Laura também não chorou no banho, nem pra secar e o mais incrível, nem pra vestir a roupa, mamou e dormiu em menos de meia hora…. e eu já tô ficando com medo de estar escrevendo esse post antes da hora…. mas sim, hoje o dia foi perfeito!

Laura sempre foi inconstante mas fazia tempo que não me dava essa colher de chá…. e é nessa hora que a gente aprende que os filhos são perfeitos até nas suas imperfeições, que ser inconstante faz com que um dia a balança pese pro lado de ca também, e que lá quando ela ainda estava na barriga eu já sabia, Laurinha consegue ser boneca e moleca, fácil e difícil, solta e apegada. Laurinha é imprevisivelmente irresistível!

Deixe seu comentário!