Meus filhos estão carentes de mim – dia 255

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

Duzentos e cinquenta e cinco dias dedicados inteiramente à eles e ainda assim parece não ser suficiente. A atenção sempre dividida entre os dois, entre eles e a casa, entre a casa e o sonho de empreender. A presença constante, mas nem sempre disponível. E essa é a verdade, apesar da dedicação exclusiva, meus filhos estão carentes de mim!

Ilustração de Monica Carretero – Libreria Nacional de Segovia

Não sei se é a crise de ciúmes em que Pedro se encontra, se é a fase da angústia da separação que Laura começa a enfrentar, assunto aliás que rende outro relato amanhã. Ou ainda se foi a semana difícil, saídas para exames, tarde no hospital, nervos à flor da pele, cansaço, dor, repouso e soneca, ainda que por pouco tempo enquanto a vovó dava uma força. Mas a verdade é que nem um dia inteiro com só com eles ontem, com direito à shopping, piscina e noite de brincadeiras, foi suficiente para suprir a demanda por mãe nessa casa!

Pedro pede insistentemente que brinque com ele, e tem que ser agora, tem que ser o tempo todo, e mesmo aos cinco anos ainda não entende quando explico que já vou, primeiro preciso trocar essa fralda de coco, ou dar o almoço da Irma, ou ainda amamentá-la porque chora, e depois estarei livre pra brincar com ele. Ele escuta, mas 3 minutos depois chama de novo, insiste, choraminga. Laura quer colo, meu colo, não serve o do pai, por fim se contenta mas quando eu passo se agita e se passo direto chora sentida, é cada bico, cada “mãmãmãmãin” que acabo não aguentando, e daí tome do outro esperar mais um pouco. E ela mama, melhora um pouco, mas passa um tempo e o ciclo recomeça. E lá estou eu me explicando “Pedro deixa eu conseguir colocar Laura pra dormir, e aí sou toda sua…” ah se fosse fácil! Enfim ela dorme, por meia hora, mas dorme.

Nem aproveitamos o tempo todo, ele anda mesmo jururu, sem apetite e acaba ele dormindo… tão fácil! Ela acordou, ele dormiu, ela dormiu por meu hora, ele chapou por quase 3 horas, não podiam trocar?! Seria tudo tão mais simples! Nesse meio tempo me sobrou um tempo pra mim, pra renovar minha energias através do sol, afinal não só eles estão carentes de mim, até eu estou!

E assim passou o domingo e cá estou eu com os dois na minha cama, e cá estou eu mais uma vez dividida entre eles e o texto que digito no celular mesmo, mas ainda assim eles preferem a cama da mamãe! Ô demanda reprimida!

Deixe seu comentário!