Por menos imposições na maternidade alheia – dia 265

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

Duzentos e sessenta e cinco dias e eu aqui pensando em quantos “nunca faça isso” ou “você tem que fazer desse jeito” eu já tropecei pelo caminho! Eu, mãe de segunda viagem, ou só porque sou tinhosa mesmo, ignoro esse tipo conselho, ou melhor, de regra que o povo insiste em ditar (para não usar a palavra mais chula que eu tinha vontade nesse momento!).

Há alguns relatos atrás, falando sobre a introdução alimentar da Laurinha, uma leitora comentou desesperada pedindo sugestões, já que o filho não comia de jeito nenhum…. eu falei para ela o que eu tentaria, afinal não sou especialista nem consultora no assunto e, de mãe para mãe, eu na situação dele tentaria de tudo mesmo, e sugeri que se nada desse certo eu tentaria bater no liquidificador! Não demorou para alguém comentar em letras garrafais “bater no liquidificador NUNCA”…… ah gente! Menos né! Pode tirar minhas estrelinhas porque eu apelo pro liquidificador sim! Quando tive que fazer uma endoscopia e ia passar 6 horas sem poder amamentar, Laura não comia quase nada, deixei a sopa batida para minha mãe dar, e quer saber? Ela raspou o prato, pela primeira vez! E hoje ela come bem, às vezes batido, às vezes amassado, vamos levando assim entre o melhor e o “o que tem pra hoje”, porque tem semana complicada que não dá tempo de amassar, ficar horas dando a comida, tem dia que preciso que coma bem porque vou ficar um tempo fora…. e fazer um panelão de sopa e liquidificar é bem pratico e uma mão na roda na minha corrida vida de mãe de dois sem empregada!

É que nem a história do suco de laranja que virou vilão! Ok, ok a gente sabe que deve priorizar a fruta, que é melhor, que é ideal, mas suco de laranja não é coca cola, e só para absurdos do tipo coca cola na mamadeira eu aceito o tal do “nunca” na maternidade alheia! Fora isso, cada uma no seu quadrado com suas batalhas e escolhas, ideais ou reais. Do BLW à sopa batida, alimentada ela será, claro que a gente sabe que precisa estimular a mastigação, que quanto menos processada mais vitaminas…. a gente sabe, mas mais uma vez, não é coca cola! E nunca é muito tempo, assim como sempre! Bater a sopa um dia para começar, quando as outras alternativas se esgotaram ou quando por qualquer razão a mãe fez essa escolha, não quer dizer bater a sopa sempre, pode tornar o processo mais lento, pode atrasar a próxima fase, mas eu garanto que minha filha vai mastigar um dia, assim como o bebê da vizinha um dia vai dormir sozinho, o outro um dia vai sair andando apesar do colo, assim como o outro um dia vai largar o peito e o amigo a chupeta, e por aí vai….

Por menos “nunca” na maternidade alheia, e por mais mães com corações tranquilos com suas escolhas nada absurdas, mas nem sempre ideais!

Deixe seu comentário!