Que mãe sou eu?

Guerra do sono: quando o problema é crônico! – dia 285, dia 286

Dia 285, mais um como tantos outros, chega a hora de dormir e Laura apesar de claramente com sono, parece recarregar as energias com 2 minutos de peito, rola, se vira e sai engatinhando pelo colchão estrategicamente colocado no chão do quarto das crianças. E começa então a guerra do sono, a mesma de quase todos os dias desde que nasceu…. só mudaram as armas!

E é isso, tem sido assim desde o princípio, sempre brigou pra dormir, houve o tempo que só dormia no colo, ou que só dormia no peito. Por meses passei as noites deitada com ela, entre mamar, adormecer, soltar, choramingar, acordar, berrar, lutar e enfim começar de novo, repetidas vezes até dormir. Muitas vezes para a minha esperança, dormia logo de primeira, sem luta, mas é fato que quando isso acontecia, meia hora depois acordava e ia assim até meia noite pelo menos, de meia em meia hora! Laura parece só ceder ao sono em estado absoluto de exaustão, ela briga briga, e de repente apaga, como se tivessem lhe tirado a pilha. E se à noite sempre foi assim, de dia colocar pra dormir não era tão difícil, especialmente de manhã, mas as sonecas sempre foram muito curtas, meia hora e olha lá. Nunca o suficiente para descansar, nem ela e nem eu! Acabei me adaptando, usava o tempo ao fim de cada dia, ali presa com ela na cama, para escrever meus relatos, no celular mesmo.

O tempo foi passando, várias tentativas de encontrar uma rotina que atendesse e suprisse a necessidade de sono dela, mas o fato é que a vida com dois filhos tem outras demandas, é o mais velho que entra de férias, que volta das férias, que muda de escola…. que passa por uma fase ruim… a vida de quem trabalha em casa também, empreender é outra bomba na rotina! No fim a rotina não é só dela, não é só pra ela, a rotina é da família e todos precisam se adaptar. A essa altura não há mais rotina perfeita, vamos seguindo em frente com o que é possível, com o que vai funciona a cada dia. E assim horários e rituais vão mudando. Percebo um ciclo…. Tudo parece ir bem, encontrei a fórmula! E então um dia por qualquer razão não funciona, ou as mudanças vão acontecendo sutilmente…. e a engrenagem sai dos trilhos.

De repente a noite é mal dormida, Laura acorda mais ainda que o habitual…. chega o dia e ela cansada, dorme por duas horas depois do almoço! Eu penso, “ufa! se fosse sempre assim”… consigo fazer tudo que preciso em 2 horas! Uau! E melhor de tudo, tendo dormido bem e apenas uma vez ainda cedo, às 9 da noite ela dorme sem resistência. É isso,  finalmente coloquei nos eixos… mas aí, depois de uns dois dias ela acorda no meio da noite e não quer mais dormir, dormir pra quê afinal?! E então acaba acordando tarde no dia seguinte, mas ainda assim consigo fazê-la dormir após o almoço, acho que esse hábito está estabelecido. Às vezes mais curtinha outras mais longa, mas a soneca pós almoço é sagrada.

Passam os dias e a resistência para pegar no sono à noite aumenta, e as manhãs que eram tranquilas já não são mais, bebê irritada, com sono, cansada, só quer colo…. e tudo isso quando eu também já estou cansada de várias noites enfrentando a guerra do sono, várias madrugadas acordadas. E depois de um dia irritada, a soneca do almoço não vinga, ou não resolve, não recupera, e no fim do dia ela está capotando antes da hora, e claro não vai direto, acorda meia hora depois, ainda com sono, mama, recarrega, foge, sai pelo quarto escuro, caça brinquedos, balbucia sons, bate palmas, ela quer brincar. Eu deixo, até cansar. Mas eu canso primeiro! Mama de novo, foge de novo, desisto e coloco no berço, ela arruma algo pra se distrair, do tipo arrancar o lençol ou a espuma de proteção do berço…. 10 minutos depois está em pé chorando, berrando… tiro de lá, tento de novo, ela foge… Apelo pro colo, ela me bate, me arranha, se contorce…. e assim levamos umas duas horas… até que desisto e entrego os pontos, passo o posto pro marido. Ela chora a minha ausência, eu recupero o folego, e a sanidade… volto, ela enfim, exausta, mama e dorme. Como se precisasse chorar para depois dormir.

Então amanhece o dia 286, estou exausta, ela também…. no meio da manhã, mesmo tendo acordado há pouco mais de uma hora começa a se esfregar, o arroz no fogo, o relógio correndo, o mais velho tem aula… acabo fazendo ela dormir no colo por volta das 11h…. Adeus soneca depois do almoço… está feito o caos na rotina! E assim tem sido sempre, os ciclos são como bolas de neve…. Quanto menos dorme, mais cansada, menos dorme, mais briga pra dormir e assim vai. E eu penso, é fase! E de fato passamos por várias, picos de crescimento, dentes nascendo, resfriados… mas a essa altura o problema de sono da Laura não é mais só uma fase, é crônico!

Eu sei bem que a forma mais simples de ajustar os horários de sono de uma criança ou bebê é pela hora de acordar, aquilo que você de fato pode controlar…. mas quem disse que tenho conseguido…. pela manhã, depois de acordar mil vezes, depois de uma noite estressante, depois de dormir torta num colchão….. tudo oque eu quero é prolongar o sono ao máximo, ela acorda eu dou o peito e ela dorme de novo, e eu também…. e eu sei que em parte essa é a origem do problema, agora é reunir forças para lutar contra a minha natureza e levantar cedo. E pelo visto lutar contra a natureza dela também!

 

 

 

2 comentários sobre “Guerra do sono: quando o problema é crônico! – dia 285, dia 286

  1. Fernanda

    Olá não sei quanto tempo sua bebê. Mas aqui era assim até os 7 meses. E eu estava exausta e prestes a voltar ao trabalho quando resolvi mudar. 1) não dormir no peito. 2) ritual do sono da noite bem estabelecido 3) horario de acordar e dormir. Lógico que é mais fácil quando bebê dorme no peito. Mas milagrosamente em menos de 1 mês o sono dela melhorou muito. Ela não dorme a noite toda mas acorda no máx 1 vez para mamar e se acorda outras vezes eu acalmo ou meu marido sem peito, no colo. No berço.
    Exige mesmo esforço da nossa parte, mas como tudo na maternidade. Foi uma consultora do sono que me ajudou, se quiser contato. Olha vou dizer eu nunca deixei minha bebe chorar, sao metodos amigaveis, mas em 20 dias melhorou 80% do era. Chegaremos lá. Minha bebê tem 8 meses. Bjs. Força.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: