As dificuldades da maternidade passam, o que fica é a saudade! – dia 302

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

Trezentos e dois dias, aniversário do papai! Pedro anunciou assim que chegamos da comemoração em família: eu vou dormir com o papai! E assim, depois da sequência de banhos, vim com Laurinha pro quarto das crianças e Pedro ficou com o pai no nosso quarto. Passam alguns minutos e vou lá buscar uma coberta, ambos já dormem, e eu aqui travando a luta de sempre para Laura pegar no sono. É, fiquei com a parte difícil de novo….. mas a verdade é que as dificuldades da maternidade passam, o que fica é a saudade!

dificuldades da maternidade

Hoje cedo na casa da minha mãe desci com Pedro na piscina do prédio. Fechada por meses para obras, a ultima vez que havia entrado nela, ainda tinha Laura na barriga. Ah que saudade me deu da barriga! Foi um verão interminável de temperaturas absurdas, era uma barriga imensa, pesada, uma gestação que pareceu durar uns 15 meses e não 9. Doeu coluna, doeu pelve, enjoei muito além dos 3 meses iniciais, contraí muito antes das horas de trabalho De parto…. mas quer saber do que eu lembrei hoje? Eu lembrei dos dias de calor mergulhada na piscina, eu lembrei de flutuar barriguda, uma barriga linda e redonda, lembrei que você dançava nela. Lembrei de sorrir ao te ver na ultra, lembrei como era doce te imaginar. Não, a gente não esquece todo o resto, fica ali, na memória, no racional, mas quando a vida resgata um momento, uma sensação, o corpo lembra do êxtase, o coração lembra do amor…. e mais nada!

 

Depois que eles nascem não é diferente, ninguém esquece as noites em claro, as cólicas, a angústia….. mas o que arrepia a espinha, o que faz os lábios sorrirem involuntariamente, o que aquece o peito, é a lembrança daquele corpo pequeno nos braços, dos olhinhos meio fechados mas já brilhando, da minha bochecha roçando sua cabeça enquanto punha para arrotar, das mãos agarradas ao meu dedo enquanto mamava. Hoje o cansaço me vence, o sono me vence, a impaciência predomina…. mas amanhã quando eu lembrar desse dia, eu não vou sentir sono de novo, nem cansaço, nem vou perder a paciência…. eu vou sorrir quando lembrar seu sorriso de quatro dentinhos, eu vou gargalhar quando lembrar sua cara sapeca. Porque as dificuldades passam, o que fica é a saudade!

 

E se cada fase que fica pra trás deixa saudade, cada fase que chega, cada fase que eles passam vem recheada de futuras doces lembranças. Hoje Pedro já não é um bebê cheio de dobrinhas que derrete a todos com suas sobrancelhas fechadas, hoje suas travessuras nem sempre tem graça, suas frases não são mais palavras fofas deliciosamente mal pronunciadas….. mas hoje, ele entra na loja e escolhe o presente do pai! E amanhã, lembrar da sua alegria ao fazer isso me fará sorrir exatamente como quando entrei na piscina mais cedo e me lembrei da menina dançando na barriga!

1 comentário

  1. Menáclia comentou:

    Que delicia de texto!!!!! Parabéns!!!!

Deixe seu comentário!