Almofada de amamentação: novo modelo, eu testei!

Categorias: Sem categoria

Quando Laura tinha pouco mais de um mês, enquanto buscava imagens para minhas publicações no Pinterest, me deparei com uma foto do que seria um novo modelo de almofada para a amamentação, uma de colocar no braço, eu achei o máximo e logo compartilhei lá na página do Que mãe sou eu? no Facebook. Foi uma chuva de comentários e compartilhamentos e um tempo depois a Meire do Mê Atelier me mandou uma de presente.

Aqui em casa não tenho cadeira de amamentação então, principalmente no inicio, ter uma almofada para usar como apoio é bem útil e proporciona uma posição confortável para mãe e bebê, aliviando principalmente a coluna da mãe. Quando Pedro nasceu eu havia comprado uma almofada no modelo tradicional, aquela que parece um C. Era verão, fazia calor, a almofada era forrada de fleece, e tínhamos toda a problemática dele não pegar o seio, e eu acabei nunca usando. Àquela altura a hora de amamentar era tão tensa, era tudo tão difícil com ele que acabei até ganhando uma dor muscular crônica no pescoço. Mas como Laura foi tudo bem diferente, pra começar ela nasceu no inverno, e não teve nenhuma dificuldade com a pega e a amamentação correu naturalmente desde o princípio. Por isso já nos primeiros dias tirei a minha antiga almofada do armário e coloquei no uso, até ganhar o novo modelo de braço, que comecei a usar imediatamente e agora vou contar pra vocês as principais vantagens que encontrei nele.

5 vantagens do novo modelo de almofada de amamentação:

 

  • Tamanho: a almofada é bem menor do que o modelo em C tradicional, dá até para colocar na bolsa e levar, no caso de saídas mais longas. E para guardar em casa também é mais fácil.
  • Posição do bebê: na almofada em C o bebê acaba ficando deitado quase na horizontal. Laura tinha sintomas de refluxo fisiológico (aquele natural dos bebês, por imaturidade do sistema digestivo), mamando numa posição mais em pé fazia com que engolisse menos ar e evitava o desconforto após a mamada e até as golfadas. Com esse modelo, o bebê deita somente a parte superior do tronco, ficando na diagonal.
  • Esquenta menos: como nem todo bebê nasce no inverno como Laura, é ótimo que a almofada não cubra tanto o nosso colo. Esquenta bem menos.
  • Higiene e proteção: usando o modelo tradicional o bebê fica sempre direto sobre o braço da mãe. Com esta almofada, entre o braço e a cabeça/rosto do bebê tem uma camada da almofada. Às vezes chegamos da rua, ou nossa roupa pode ter algum gancho ou tecido não muito confortável, a almofada acaba sendo uma proteção. Bebês recém nascidos tem a pele super sensível.
  • Outros usos: à medida que o bebê cresce o apoio deixa de ser necessário, como a almofada é na verdade uma tira que se enrola e fecha com velcro, eu encontrei outros usos para ela. Usava esticada como trocador. E naquela fase em que o bebê está começando a sentar mas não fica firme, eu costumada deixar Laura no carrinho e ela por vezes caía pra frente batendo o rosto na proteção frontal do carrinho. Então passei a deixar a almofada enrolada ali e ela nunca mais se assustou, até gostava de deitar nela.

 

Outras características:

A capa da almofada é removível e facilmente lavável. O tecido é algodão, e a costura longitudinal facilita a mobilidade quando a usamos no braço.

 

 

1 comentário

  1. Meire comentou:

    Que amor <3
    Não sabia da resenha, amei!!!
    Obrigada

Deixe seu comentário!