Que mãe sou eu?

Sobre o dia das mães – dia 376

Dia 376, há dois dias atrás foi dia das mães, e depois de desenhar pra mim, me abraçar e beijar diversas vezes nas horas mais inusitadas…. ao fim do dia Pedro me disse “mãe o seu dia está acabando!”. Eu disse a ele que dia das mães era todo dia e ele prontamente respondeu “não é não, seu dia é hoje!”. E aí, José?! Explica como agora?!

dia das mães
Bem sei que a data é comercial, mas fiquei pensando o que há então de especial nela. Desde que Pedro entrou na escola, o ponto alto do meu dia das mães costumava ser depois da data oficial, no dia da festa na escola, com direito a música cantada especialmente pra mim, de derreter o coração e arrancar lágrimas de canto de olho, além do presente, feito pelas professoras mas com alguma participação dele para que eu pudesse exibir com orgulho pelos próximos meses pelo menos. Não vou negar, eu AMAVA a festa na escola, senti ano passado quando não pude ir já que Laura tinha acabado de nascer. E senti falta esse ano quando mudamos para uma escola onde há apenas uma festa da família, mais inclusiva e empática. Tudo bem, eu posso lidar com isso!


Voltando ao último domingo, entre as muitas outras mensagens recebidas, o dia foi até bem comum. Começamos arrumando a casa, já que havíamos recebido amigos no dia anterior. O que acabou por melar os planos do Ricardo de cozinhar pra mim, mas enfim, ele já faz isso quase todos os fins de semana mesmo, então tudo bem. Decidimos dar o almoço das crianças e sair mais tarde pra comer alguma coisa todos juntos. Corri no hortifruti, onde a caixa me deu parabéns pelo dia. Mas eu estava ali, e muitas outras mães também estavam, apenas fazendo compras como em tantos dias comuns.


Fomos ao local de sempre, perto de casa, só nos, como sempre. E por fim o dia foi deliciosamente corriqueiro, mas ainda assim único. Então concluo que Pedro tinha razão, ainda que todo dia seja dia de mãe, meu dia é aquele, um dia especial pra ele, quando ele pode me dar um presente, me encher de beijos e me fazer um desenho. E mesmo ganhando desenhos a toda hora, e abraços e beijos todos os dias, os de domingo, junto com o presente que esse ano eu mesma escolhi e já estava usando há uma semana antes…. são o jeitinho dele dizer “eu reconheço mamãe”. Reconheço seu amor, seu esforço, as noites em claro, as vezes que abdica de si mesma, seu cansaço, seu cuidado, sua dedicação.


E que assim seja, que venham os próximos….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: