Crises do bebê: a crise do primeiro ano – dia 386

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

Trezentos e oitenta e quatro dias, acho que é isso! Os relatos são cada vez menos diários, então fica cada vez mais difícil contar os dias. Chegamos a um ano e as coisas parecem tão confusas e fora de ordem por aqui que me sinto novamente com um bebê recém nascido em casa!

a crise de um ano do bebê

Eu já não sei dizer exatamente como começou, já que nunca consegui estabelecer propriamente uma rotina para Laura, mas ainda assim as coisas já tinham encontrado sua ordem por aqui. Mas de repente tudo tem sido tão difícil, não quer comer, não quer vestir, não quer trocar a fralda, resiste a tudo e alterna períodos em que só quer colo com outros extremamente agitada correndo pela casa, ou ainda momentos em que nada parece deixá-la satisfeita. Hora come de raspar o prato, hora não come de jeito nenhum, ou só quer a comida do prato do irmão, ou do nosso…. É comum não comer de jeito nenhum no almoço, mas se eu der o mesmo prato de comida duas horas depois, come tudo! Enfim, Laura, com 1 ano, tal qual recém nascida, come e dorme quando quer a hora que quer. E é nessa hora que a bendita rotina que nunca consegui impor a ela me faz falta!
O sono cada vez mais inconstante, com despertares na madrugada sem voltar a dormir por horas, influencia na hora de acordar, dela e minha, e impacta o resto do dia. Se eu não durmo, não acordo, a rotina da casa atrasa, a tarde embola não fico livre pra trabalhar, e a noite estou um trapo pra escrever…. Esses dias amanheci tão exausta e desesperançada que pensei “não aguento mais a minha filha!”. E tal qual no puerpério, sentei e chorei!
E então alguém me lembra “é uma fase, vai passar!”, sim é sempre uma fase, mas qual é essa agora?! Vai passar quando? Afinal já tem um ano…. o puerpério a gente sabe que passa mesmo, a gente se permite deixar tudo pra depois, a casa um caos, o corpo e o cabelo um caos, a vida um caos…. mas a essa altura, o nosso tempo já voltou a correr no mesmo compasso do resto do mundo, e deixar tudo pra depois a toda hora só me angustia cada vez mais.
Então começo a pensar se não é mesmo uma fase… que fase é essa por trás do primeiro ano do bebê? Serão os dentes nascendo? Sim, há sinais… mas de novo? Acabaram de nascer dois, eles vem assim um atras do outro…. então lembrei das crises de desenvolvimento do bebê, parei minha leitura na terceira, a fase da angústia da separação, mas eu me lembro que são quatro e resolvo ir buscar o assunto novamente.
A crise do primeiro ano, chamada crise da ambivalência dependência/independência, coincide com o início do caminhar… segundo o pediatra Leonardo Posternak respondeu ao site Bebê.com.br, os sintomas são: “As mães chegam ao consultório reclamando que a criança começou a acordar à noite, a não comer e a ficar muito agitada durante o dia”. Bingo!
Enfim encontrei uma razão pra acreditar e repetir novamente o mantra: vai passar! Sempre passa!

Deixe seu comentário!