Mãe não desliga nunca! – dia 424

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

Dia 424, gripe tomou conta, friozinho chegou, é foi mais um daqueles dias pra deixar a cama por fazer, a casa de lado e deitar no sofá enquanto o bebê dorme. Mas a verdade é que eu não deixo tudo pra lá com o mesmo desprendimento de antes, não, mãe não desliga!

mãe não desliga

Eu sempre fui bagunceira, nunca fiz o tipo que tem cólicas de ver a pia cheia de louça ou a sala bagunçada. Mais nova, por qualquer prova na faculdade o quarto ficava de pernas pro ar, solteira, a pouca louça que eu sujava ia ficando lá até a faxineira chegar. Cama? Fazer pra quê se eu saía pro trabalho e quando voltava já tava na hora de desarrumar ela de novo pra deitar? Mas aí eu não sei se isso veio no pacote da maternidade, se tem a ver com ficar mais responsável, mais velha, mais cheia de manias…. não sei de onde veio.

 

Mas hoje, mesmo decidindo logo quando acordei com a cabeça pesando meia tonelada só do lado direito, que usuária o dia pra descansar e deixaria a casa pra depois…. mesmo assim, lavei a louça do café, e fiz a cama das crianças. Suspendi os planos de cozinhar, combinei com o marido que ele faria a sopa da pequena quando chegasse, mas passei no hortifruti na volta da escola pra comprar os legumes e aproveitando umas frutas. Deitei no sofá, um pouco incomodada pelos brinquedos espalhadas à volta, mas a cabeça latejava a cada abaixada, então me resignei e deitei. Laura acordou, dei uma fruta, e não resisti e lavei a louça do almoço rapidinho antes de sair pra buscar o Pedro.

 

Daí fiquei pensando mesmo porque não consigo mais chutar o balde…. talvez seja só coisa de mãe, ou talvez seja porque antes dos filhos, eu soubesse que mesmo que acumulasse a qualquer hora abria uma brecha, sobrava um tempo, um dia com mais disposição e eu dava conta de tudo. Agora a brecha não existe mais, nunca! E eu estou sempre cansada mesmo então melhor não deixar acumular. Por outro lado o nível de bagunça que eu produzia e tolerava não se compara ao que duas crianças conseguem fazer numa manhã, gente! Nessas horas sempre penso que precisamos doar alguns brinquedos, mas antes fosse só brinquedos, Laura espalha DVDs, carrega nossos sapatos do quarto pra sala, faz o mesmo com os potes plásticos da cozinha e com qualquer coisa que ache pela frente!

 

Enfim, à 8 da noite, depois do marido dar aquela força fazendo a sopa e o almoço do dia seguinte, lá fui eu catar os brinquedos pela casa, se não ninguém andava, e era o mínimo que podia fazer depois de me livrar da cozinha né! Daí às 10 quando às crianças finalmente dormiram, eu enfim, deixei alguma coisa realmente pra lá…. deixei esse texto que tava na minha cabeça e fui dormir! Desliguei!

Ah e só pra constar, hoje, dia seguinte, eu larguei os brinquedos espalhados no chão da sala e também a louça do jantar na pia, fechei a porta do quarto, tô fingindo que eles nem estão lá, só pra vir aqui postar esse texto de ontem!

Deixe seu comentário!