Enfim acabaram as férias escolares – dia 449

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

Dia 449! Acabaram as férias escolares, último dia útil de férias, segunda a vida volta ao normal, e hoje consigo enfim escrever novamente. Não, não é que eu esteja menos cansada, pelo contrário, depois de encarar o zoológico sozinha com os dois, de carregar Laura na mochila pela tarde toda…. eu estou morta! Doem músculos que eu nem sabia que tinha.

Mas quando deixei o quarto das crianças após Laura adormecer, eu que pretendia me jogar na cama, encontrei pai e filho dormido nela, me restou o sofá! Me joguei nele, e desfrutei de algo ainda mais raro que dormir….. ver televisão! Na verdade nem mudei o canal, e a novela, que eu nunca tinha assistido mais que meio capítulo, ficou ali rolando, e eu ali, ou melhor aqui (ainda estou na mesma posição), um corpo largado no sofá. Eu pensei – podia estar escrevendo – mas tá tão bom ficar aqui sem nem pensar….

Mas a novela acabou, a cabeça continuou pensando e de repente tô eu aqui escrevendo. Enfim, as férias acabaram, teve muita coisa boa sim, mas foi enlouquecedor também. Teve dormir com os dois na minha cama até mais tarde, teve cinema, bondinho do Pão de Açúcar e zoológico, teve pracinha sem hora pra voltar, teve bagunça na sala com direito a vídeo boomerang no celular, teve tarde de jogos com o mais velho enquanto a mais nova dormia, teve lanche no posto de gasolina….

É teve muita coisa boa! Mas teve também um cansaço que tomou conta, teve um retrocesso na rotina de sono da Laura, teve dispensa vazia, supermercado por fazer, roupa atrasada e mãe angustiada com o tanto de coisa que terá pra colocar em dia. Teve briga por brinquedo, por biscoito, por colo. Teve excesso de energia deles, falta de energia minha. E tudo isso me mostrou como as férias são diferentes quando a gente fica em casa, ainda que nada disso seja maior que tudo que teve de bom que coloquei no parágrafo anterior!

Eu costumava contar os dias pras férias, ou porque eu também tiraria uns dias e poderia enfim ficar com meu filho, ou porque ainda que eu continuasse trabalhando, tê-lo em casa com a avó aplacava minha culpa por deixá-lo tanto tempo na escola. Me confortava saber que ele estava descansando, brincando, sendo criança. E Pedro curtia cada minuto em casa. Mas ele cresceu, já não sente mais tanta falta de seus brinquedos, já que agora só fica 5 horas na escola, quando metade do tempo que já ficou quando mais novo. Também não é mais novidade me ter em casa por perto. Além disso ele ganhou uma irmã que atrapalha bastante as atividades pacatas que ele curtia em casa, como desenhar, brincar de lego, montar quebra cabeças.

Leia aqui sobre o início das férias!

Resultado a mãe aqui viu a casa e a vida virar de cabeça pra baixo, e eu não estou falando de não gostar de estar com eles, ou de não dar conta de educá-los. Mas de literalmente deixar tudo de lado, o home office, a casa, os textos…. e foram só duas semanas, imagina em janeiro! Mas sabe o que é, janeiro as férias são da família, o pai tira férias, o mundo tira férias, e eu enfim espero me permitir tirar também!

Deixe seu comentário!