Mãe cansada: Eu achei que seria mais fácil! – dia 453

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

Dia quatrocentos e alguma coisa, perdi as contas outra vez! Ando tão cansada, e ando ainda mais cansada de dizer que sou uma mãe cansada. Então pra não correr o risco de só ter isso a dizer, não digo….

Passo os dias pensando em textos e quando chega a noite não tenho forças de passar pro papel. Mas tem uma meia dúzia de palavras entalada aqui na garganta. Uma frase que eu preciso por pra fora para dar vazão ao resto: EU ACHEI QUE SERIA MAIS FÁCIL! Logo eu, mãe de segunda viagem, caí nessa armadilha. 

Sim, achei que seria mais fácil o segundo filho, eu achei que seria mais fácil ficar com eles em tempo integral, que seria mais fácil ser dona de casa, e ainda, que seria mais fácil empreender…. eu achei que daria conta! Ou que saberia lidar melhor quando não desse. Eu achei que escreveria um livro na licença maternidade, mas ele ainda está aqui aos pedaços, e eu também. E que emagreceria todos os quilos até o desmame, mas sigo fazendo da comida o escape. Achei que faria mil coisas enquanto ela dormisse, mas ela já fez um ano e não dorme. Que organizaria a casa de modo que me sobrassem os fins de semana, mas faltam dias, horas, minutos, falta tempo, o tempo todo!

Eu não tinha ideia do quanto eu já estava cansada, do quanto a idade ja pesava e nem de quanta falta a liberdade já me fazia após cinco anos de maternidade. Não me dava conta de que esses cinco anos tinham sido tempo pra cacete e de quantos anos mais botei na conta do meu “tempo de maternar” quando comecei de novo. Não calculava o quão longa seria essa “pausa” e nem quanto isso me afetaria. E mais que tudo, eu não imaginava quanta falta a ajuda com a casa me faria, quão diferente do primeiro filho o segundo seria e nem quanto trabalho daria.

E então hoje me vejo dividida entre a ansiedade para que passe logo e a angústia por não estar curtindo cada segundo. Entre saber que eu não tenho que dar conta de tudo e precisar dar conta do máximo. Entre me permitir e perdoar; e me cobrar e motivar. Entre aquela que quer correr não sabe pra onde, e a que não dá um passo sem carregar um em cada mão. Entre ser a mulher que senta no chão do quarto da filha depois que ela dorme e chora….. e a mãe que acorda na manhã seguinte e encontra a força naquele sorriso que a acorda todos os dias.

E assim eu espero que as lágrimas de hoje lavem, levem…. e que amanhã as sementes regadas simplesmente floresçam…. porque não há jardim que não fique belo sem suas flores, e nem mãe que seja feliz sem seus amores. 

5 comentários

  1. Mesmo sendo mãe de uma folha só tb me sinto muito cansada… mesmo mina bebê tendo um ano e tês meses ela ainda mama no peito e mama muito… acorda várias vezes de madrugada pra mamar e não dorme … eu amo minha filha infinitamente mas me sinto esgotada … tb não vejo a hora desta fase passar , e ao mesmo tempo não quero que ela cresça tão rápido …

  2. Tatiana Araujo Lima comentou:

    Perfeito seu texto.

  3. Denise comentou:

    Texto perfeito, real!
    Sempre encontramos textos na net falando sobre maravilhas e as mães são tão perfeitinhas!
    Achava que só eu me sentia assim!
    Triste e feliz! Cansada e forte!
    Um beijo

  4. Débora comentou:

    Texto perfeito! Me identifiquei em cada palavra.

  5. Lucimeire Souz a comentou:

    Vivo exatamente isso. Mas não se cobre tanto… os afazeres domésticos sempre estarão ai para serem feitos e refeitos. Nossos bebês não estarão sempre dependentes de nós e neste tempo noa restará saudades do chorinho… da dependência… não se cobre tanto… o tempo exige que sejamos intensas. Viva intensamente… bjo pra vc.

Deixe seu comentário!