Corpo de mãe é abrigo de filho, pra sempre! – dia 459

Categorias: 1000 dias de mãe, Versos diários

459 dias, há 459 dias o meu corpo de mãe deixou de ser sua morada, mas você ainda deita sobre ele pra encontrar o sono…. Sabe, eu adoro essa falta de cerimônia que só os bebês, só os nossos bebês tem com nosso corpo!

corpo de mãe

Chegamos da escola, eu e Pedro sentados no chão da sala, recortando revistas para o dever de casa…. mas sou interrompida a todo instante…. Laura vem sobe em mim, me escala, me pisa, se segura na minha roupa e por vezes na minha pele mesmo, são aqueles movimentos desajeitados de quem procura o colo ou apenas um atalho para subir no sofá, alcançar um brinquedo do outro lado, ou faz só por diversão, enfim…. é quase como se eu não fosse um corpo e sim uma pilha de almofadas. Ou não, ou a intimidade, a segurança venham justamente porque sou um corpo, um corpo onde ela já esteve, do qual se sente parte.

Pedro vem senta no colo, tem mais cuidado, mais noção, algumas vezes ainda vem com força, se apoia onde dói, vem com seu jeito bruto de menino, pula, às vezes até machuca…. mas já não é mais sem nenhuma cerimônia como ela…. ele já entende os limites do seu e do meu corpo, já busca o colo e o conforto com alguma consciência. Ela não, ela põe o dedo no nariz, levanta a pálpebra, coloca a mão na boca, como se brincasse, explorasse, descobrisse. E na hora de dormir não seria diferente, não importa o tamanho da cama, sempre tem uma perna por cima de mim, um braço…. ou aquele corpo inteiro colado nas minhas costas que mal posso virar de lado.

De todas as coisas que passam essa é uma daquelas que deixa saudade. Porque depois que eles crescem você poderá ter outros bebês pra chamegar de vez em quando, sobrinhos, filhos de amigas, um dia terá os netos, mas nenhum bebê terá essa liberdade de ir e vir do seu corpo como o seu filho, nenhum bebê procurará o seu seio como ele, nenhum terá aquela mania de mexer no seu cabelo, ou na sua orelha, e aquele jeito de te olhar que te atravessa, que alcança o infinito e por fim….. adormecer…. nenhum…. só o seu filho, só você, só vocês dois que um dia foram um só corpo e que pra sempre serão um só coração! 

1 comentário

  1. Derla comentou:

    Q lindo. Acredito q assim como eu, muitas mães se encontraram neste texto. Muito gostoso, intenso, tocante, emocionante e verdadeiro. Me deliciei. Refrigério para a jornada cansativa d mãe. Rsrsrsrs.

Deixe seu comentário!