Se você tem um bebê de poucos dias…

Categorias: Poesia Materna, Textos

Se você tem um bebê de poucos dias em casa tenha calma
Aos poucos você vai aprender a entender cada choro, eu prometo
Se hoje seu bebê sofre com cólicas
Com o tempo você vai descobrir que o melhor que pode fazer por ele nessa hora é manter a calma, e você consegue, acredite
Se o cansaço e o sono hoje te dominam
Não vou mentir, não vai melhorar, mas você vai se habituar, te garanto
Se amamentar está difícil e você está frustrada
Em algum tempo vocês se entendem e vai ter valido a pena, eu juro
Se você está com medo agora,
Respire fundo, isso passa, eu te digo
Se você quer que passe logo,
Não queira, porque quando você menos esperar terá passado e você terá se esquecido, eu sei

O que você lembrará
São as tardes com ele no seu colo no sofá
São os sorrisos e gargalhadas na troca de fralda de madrugada
São as trocas de olhares durante a mamada
São as poses fofas em que ele dorme
São as primeiras reações aos seus estímulos
São aqueles olhinhos te acompanhando quando você passa
São aqueles bracinhos balançando quando você vai pega-lo

Isso é o que fica
E no fim, você vai desejar viver tudo de novo
E talvez você decida mesmo começar outra vez, ou não
Mas com certeza você sentirá saudades

Um poema para meu filho, parabéns!

Categorias: Poesia Materna, Textos

Parabéns, meu filho

 

Sua chegada me roubou o tempo, a liberdade e o sono
Seu grito me toma o ar
Suas travessuras me tiram o fôlego
Seu choro me rouba a paz

Seu sorriso me deixa sem palavras
E seu olhar me leva os sentidos

Mas engana-se quem acha que eu lhe dei a vida
Foi você quem a me trouxe de volta
Mais simples e mais colorida
Por isso hoje comemoramos juntos

Ser mãe é a arte de esperar… (rascunhos de uma mãe)

Categorias: Poesia Materna, Textos

Tudo começa esperando que a menstruação atrase

depois a espera dura longos 9 meses..

Aí é a vez de esperar os primeiros 3 meses quando supostamente tudo melhora…

Esperamos eles aprenderem a andar, falar, entrar na escola…

Vivemos esperando a próxima fase,

mas saber esperar é saber curtir cada fase,

porque passa voando e quando menos esperarmos…

Estaremos acordadas de madrugada

esperando eles voltarem da rua e

lembrando do tempo em que as noites insones,

ao menos, eram na companhia deles!

Boa noite! Boa espera!

 

Leia também o poema Quando ele dorme

Depois de ter um filho: uma carta para minha mãe

Categorias: Poesia Materna, Textos

Mãe,

Obrigada,

pelas noites em claro,

pelos puxões de orelha não raros

pelo amor desmedido,

e por cada “por que?” respondido.

Pelos presentes dados

e também pelos negados.

Por cada firme “não!”

E pelos “não fez mais do que a obrigação”

E principalmente,

por tudo que me inspirou

a ser a mãe que sou!