Porque parar de trabalhar (fora) está nos meus planos desde que meu filho nasceu…

Categorias: Prosa de mãe, Reflexões

Há uns dias atrás li este post do Tudo sobre minha mãe – Se você pudesse não trabalhar, você trabalharia?, e não resisti em dividir minha resposta com vocês. Na verdade já tenho vontade de escrever sobre isso faz tempo, porque está questão tem sido o cerne da minha vida desde que a maternidade chegou para mim. Dela surge a força que motiva este blog e por ela Pedro ainda não tem um irmão. Calma, calma, eu vou explicar do começo…. […]

Continue lendo…

Puerpério: seis semanas vivendo fora do corpo

Categorias: Prosa de mãe, Reflexões, Relatos de experiência

Foi exatamente assim que eu me senti no puerpério, os primeiros dias de vida do meu filho, vivendo fora do meu corpo! O coração batia fora do corpo, respirava fora do corpo, tudo naquele corpinho….que agora vivia fora do meu. O tempo não se conta mais em horas e sim em mamadas, dia e noite se misturam, o mundo lá fora parou! Durante a gestação eu li um best seller americano chamado O que esperar quando você […]

Continue lendo…

Dei ao meu bebê todo o colo que ele merecia?

Categorias: Falando de filhos, Prosa de mãe, Reflexões

Hoje muito se fala sobre as necessidades do bebê, a importância do colo, do aconchego, do amor. Isso é incontestável, ok! Mas quanto colo o seu bebê precisa? Será que eu dei ao meu bebê todo o colo suficiente? Quando Pedro nasceu eu não lia tanto quanto hoje, eu não tinha ainda o arsenal de informações que disponho hoje. Eu, como a maioria das mães de primeira viagem usei meus instintos e os exemplos que tive ao longo […]

Continue lendo…

Sobre maternidade e vaidade

Categorias: Prosa de mãe, Reflexões

Eu nunca fui, mesmo antes da maternidade, nem de longe o melhor exemplo de vaidade feminina, por isso para escrever esse post, mais do que falar de mim mesma, observei um pouco as mulheres a minha volta. Salvo raríssimas exceções, todas relaxam nos seus padrões de vaidade. E não falo só dos primeiros e caóticos meses não, aqueles em que não dá tempo nem de fazer as unhas, os cabelos vivem presos, a roupa suja de leite… […]

Continue lendo…