A importância de se preparar para a amamentação

Categorias: Amamentação, Qmãe Especialistas

“Descobri que estou grávida! O que preciso organizar? Sobre o que devo me informar? O que é necessário providenciar, comprar, ajustar?…” Na lista de prioridades deste pensamento que acontece com 9 entre 10 “recém-gestantes” (tá bom, 9,5, rsrsrs) certamente encontraremos preocupações com a compra de roupinhas e objetos diversos para o bebê, de necessidades de adequação do espaço (cabe no quarto? na casa? no carro?), de reflexões acerca das rotinas e das mudanças na vida de todos […]

Continue lendo…

O terceiro trimestre

Categorias: Poemas, Poesia Materna

O terceiro trimestre

A essa altura não só sua barriga tomou forma,
Seu bebê também
A ultra já revelou seu sexo, seu rostinho, seu tamanho…
Seu nome já foi escolhido, e chamá-lo já faz parte da rotina
A essa altura a comunicação de vocês é diária, seja pelas suas palavras e carinhos na barriga
Seja pelos chutes e cambalhotas dele ou dela
Vocês começam a se conhecer, você já espera por um cutucão depois de uma virada de lado na cama ou por tremidinhas animadas depois daquele brigadeiro
Ele ou ela já reage àquela reunião tensa com o chefe ou ao reencontro com o papai no fim do dia
A essa altura a relação de vocês se faz presente em cada respiração ofegante, em cada movimento desajeitado
A essa altura você quer que o tempo passe mas não que ele ou ela se apresse
Seu corpo está fora de eixo, seu centro de gravidade está fora do lugar
E a essa altura, você talvez já tenha percebido que seu coração também
Só que este não voltará inteiro ao seu peito,
Parte dele seguirá batendo em outro corpo…

1 ano de blog: não faltam motivos para comemorar!

Categorias: Poesia Materna

A gestação de uma mãe

Um dia vc acorda grávida
Mas de imediato, nada acontece
A barriga ainda não aparece
Vida que segue
Para acordar mãe ainda leva uns meses
Então vem o enjoo a náusea
E você ainda não sabe que um dia serão os gritos pela casa que te deixarão tonta
E de repente apesar de toda a felicidade há um mal estar que persiste
E você ainda não sabe que essa bipolaridade se fará presente no seu maternar de diversas maneiras
E vem o momento de dizer não
Não ao chopinho, não aos excessos, não ao stress
E você ainda não sabe quantos nãos dirá por dia ao seu filho
E depois vem os chutes e pontapés e você ainda não sabe que a cada tombo ou cada febre será mesmo como levar um soco na boca do estômago
E daí pra frente as noites começam a se tornar agitadas
E você ainda não sabe que nunca mais dormirá como antes
E a barriga começa a pesar
E você não sabe quantos quilos ainda irá carregar e quão forte você se tornará
E você começa a sentir calor, muito calor
E ainda não sabe que isso que aquece seu peito, não vai mais te abandonar, se chama amor
E agora que está chegando perto você teme o parto
E você não sabe que os momentos em que sentirá medo estão só começando
E chega a hora, seu ventre esvazia e seu coração transborda
Seu bebê não vive mais em você , mas parte de você viverá nele a partir de agora
E você ainda vai descobrir a mãe que acabara de nascer

O texto acima, publicado originalmente na página do Qmae no Facebook semana passada, nada mais é do que a minha percepção da gestação, agora que eu já sei o que é ser mãe! Eu jamais poderia tê-lo escrito se não estivesse tomada pelos hormônios da gravidez e nem tampouco se já não tivesse sido tocada pela chegada de um primeiro filho. O sucesso dele (publicação mais curtida e compartilhada neste um ano) é só mais um dos motivos que tenho para comemorar hoje!